Olá! Seja bem vindo ao nosso site. 

 13 de Julho de 2024

Marrocos: O forte terremoto que atingiu o Marrocos na noite desta sexta-feira (8) - no horário do Brasil - já deixou 1.037 mortos e mais de 1.200 feridos, de acordo com um balanço divulgado pelo Ministério do Interior para a TV estatal.

 

O número de vítimas, porém, não é definitivo e pode aumentar, segundo as mesmas autoridades. O Itamaraty informou na manhã deste sábado (9) que não há notícias de brasileiros mortos e feridos.

 

O tremor danificou desde aldeias nas montanhas do Atlas até a cidade histórica de Marrakech. Forças armadas e equipes de resgate marroquinas foram deslocadas para as áreas mais afetadas. Muitas estradas estão danificadas e bloqueadas, segunda a TV estatal.

 

O terremoto de cerca de 15 segundos ocorreu por volta das 19h30 (de Brasília), atingiu magnitude 6,8 e aconteceu a uma profundidade de 18,5 km, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês).

 

O epicentro do sismo ocorreu no alto das montanhas do Atlas, 70 km ao sul de Marrakech, onde se concentra o maior número de mortos. A região também fica perto de Toubkal, o pico mais alto do Norte da África, e de Oukaimeden, uma popular estação de esqui marroquina.

 

 

As províncias mais atingidas foram Al Haouz, Ouarzazate, Marrakech, Azilal, Chichaoua e Taroudant.

 

Homens, mulheres e crianças permaneceram nas ruas em algumas cidades da região, temendo réplicas.

 

Um segundo tremor, mais fraco, ocorreu 15 minutos depois, informaram as agências internacionais de notícias.

 

Segundo informações da agência de notícias Reuters, um oficial do país declarou que há dezenas de mortos em áreas de difícil acesso ao sul de Marrakech.

 

Na rede social X (o antigo Twitter), há relatos de pessoas que correram pelas ruas, enquanto prédios balançavam. De acordo com agências de notícias, vários prédios colapsaram.

 

Foto/Reprodução/Reuters

 

O tremor foi sentido em outros países: há relatos em veículos de imprensa de Portugal, Espanha e Argélia.

 

O chefe da cidade de Talat N’Yaaqoub, Abderrahim Ait Daoud, disse ao site de notícias marroquino 2M que várias casas em cidades da região de Al Haouz desabaram parcial ou totalmente, que a eletricidade foi cortada e há estradas bloqueadas em alguns trechos.

 

Ait Daoud disse ainda que as autoridades estão limpando estradas na província para permitir a passagem de ambulâncias.

 

Imagens compartilhadas em redes sociais mostraram pessoas correndo e gritando perto da Mesquita Koutoubia, do século XII, em Marrakech, um dos marcos mais famosos da cidade. A mídia marroquina informou que a mesquita sofreu danos.

 

Foto/Reprodução/Reuters

 

Tremores na região

 

Marrocos frequentemente experimenta terremotos em sua região norte devido à sua localização entre as placas africana e euroasiática. Em 2004, pelo menos 628 pessoas morreram e 926 ficaram feridas quando um terremoto sacudiu Alhucemas, no nordeste do país.

 

Em 1980, o terremoto em El Asnam, na Argélia, de magnitude de 7,3, foi um dos mais destrutivos na região: matou 2.500 pessoas e deixou 300.000 desabrigados.

 

O porta-voz da ONU, Stephane Dujarric, informou em comunicado que "as Nações Unidas estão prontas para ajudar o governo marroquino".

 

Fotos/Repropdução/Reuters

 

 

 

 

 

Com informações G1

Últimas Notícias

Vídeo - Canal Livre

Clima / Tempo

Colunistas

Dicas das Estradas

Destaques

 

Parceiros do PDN