Olá! Seja bem vindo ao nosso site. 

 22 de Julho de 2018

Um tribunal no Egito confirmou 21 sentenças de morte dadas a torcedores que se envolveram em uma briga após uma partida de futebol em Port Said, no ano passado.
O julgamento continua em meio a enorme tensão.
 
Muitos reclamam que nenhuma autoridade foi responsabilizada pela falta de segurança que teria permitido o confronto entre torcedores do time local, Al-Masry, e do Al-Ahly, do Cairo
No total, 74 torcedores morreram, a maioria do time da capital.
 
Cinco dos 52 outros réus foram condenados à prisão perpétua, enquanto outros receberam penas menores ou foram absolvidos.
 
Por conta das decisões do tribunal, há conflitos desde o último sábado.
Parentes dos condenados atacaram policiais e a prisão onde os homens estavam. Soldados foram trazidos para proteger locais estratégicos. Houve novos confrontos no domingo, após os funerais de mais de 30 pessoas, o que espalhou inquietação para as cidades vizinhas Ismailia e Porto Suez.
 
Moradores de Port Said argumentam que as autoridades responsáveis pela segurança no jogo de futebol não foram levadas à Justiça e que os torcedores do Al-Masry condenados são bodes expiatórios.
 
A maioria das vítimas do confronto no ano passado eram torcedores do Al-Ahly.
Desde que os protestos em massa derrubaram o ex-presidente Hosni Mubarak, em fevereiro de 2011, há conflçitos entre polícia e civis no país.
 
Muitas pessoas acreditam que a polícia de Port Said permitiu a violência contra torcedores do time do cairo para se vingar dos que participaram da derrubada de Mubarak. A polícia nega a acusação.
 
Fonte: BBC Brasil (09/03/13)/Foto:AFP

Últimas Notícias

TV IOL- Canal Livre

Divirta-se

MONTE O MAPA DO BRASIL

Colunistas

Destaques






 


Previsão do Tempo

Dicas das Estradas

Parceiros do IOL