Olá! Seja bem vindo ao nosso site. 

 17 de Julho de 2018

Dia de sol, você pega sua cadeira, sombrinha, um livro, e vai para a praia. É hora de esticar as pernas e relaxar, ouvindo o barulhinho do mar, você pensa. Mas eis que um grupinho animado resolve se instalar a menos de dois metros e ligar um som na maior altura. De repente, passa um menino correndo, espalhando areia para tudo quanto é lado. Como lidar, gente? E cadê a mãe dessa criança?

 

É verdade que a praia é de todos, um local de descontração e que não combina muito com regras. Mas em época de areias abarrotadas de gente, pedir um pouco de bom senso em nome da harmonia nunca é demais.

 

“Não é por ser um espaço democrático que vale tudo. Já vimos muita confusão na praia acontecendo por bobagem”, diz a jornalista, consultora de comportamento e colunista da Revista AG, Luciana Almeida.

 

Em local público, é preciso pensar no coletivo. “Mas as pessoas têm deixado o bom senso de lado. Infelizmente, em vez da máxima ‘seu direito termina onde começa o do outro’ está prevalecendo aquela que diz ‘os incomodados que se mudem’”, complementa a consultora de etiqueta Lorena Coelho.

 

Quem gosta de um sonzinho à beira-mar deve lembrar que muita gente está ali para descansar, bater um papo com os amigos. Por isso, manere no volume ou melhor ainda: leve um fone para curtir sua playlist favorita. “E para quem quer sossego, é bom evitar locais onde o som alto impera para fugir de aborrecimentos e até de confusões”, sugere Luciana.

 

O problema é maior se a atitude de um banhista prejudica a saúde dos demais. “Se o local está lotado, não dá para sacar o frescobol no meio da galera. A bola pode atingir alguém e deixá-la cega até”, alerta a consultora.

 

Se vai levar as crianças, fique de olho nelas. “Mantenha a criançada mais próxim da água as crianças e não as deixe jogar areia nas pessoas que estão por perto. Elas estão no papel delas, que é brincar. Os pais é que têm que estar atentos se os filhos estão incomodando os outros”, cita Lorena.

 

O personal trainer Leandro Barcellos Gusmão, 24 anos, gosta de juntar os amigos na praia, e a música não pode faltar. Mas ele garante que o som não atrapalha o sossego de ninguém. "Gosto de música eletrônica. Quando quero escutar o som mais alto, procuro um canto mais afastado das pessoas na praia. E se alguém reclama do barulho, abaixo o som numa boa”, diz ele.

 

Na praia, sem gafes

 

Queremos sossego!

 

Quer ouvir um sonzinho? Ok. Mas ninguém mais é obrigado a escutar sua playlist favorita. Leve seu fone e curta sua música sem perturbar os outros. Se for levar caixas de som e amplificadores, mantenha o volume baixo. Abrir o porta-malas do carro, então, nem pensar!

 

Cuidado com a bola

 

A praia é um local propício para praticar esportes. Mas não coloque a integridade física dos outros em risco. Cuidado com as crianças, que não têm noção e costumam passar perto dos jogadores. Se vai praticar altinha ou frescobol, escolha uma área com menos aglomeração para não atingir ninguém

 

Na hora de sacudir a canga

 

É outra gafe comum. Na hora de sacudir a canga de praia, afaste-se das pessoas para não jogar areia em ninguém

 

Fume longe dos outros

 

A mesma regra da canga. Quer fumar, vá para uma área com menos aglomeração, onde a fumaça não incomode o vizinho da barraca ao lado

 

Ducha rápida

 

Quer tomar uma ducha depois do mergulho? Tenha bom senso e faça isso de maneira rápida. Nos dias de praia lotada, costuma haver fila no chuveiro. Nada de lavar cadeira de praia, baldinho das crianças... Seja educado e não deixe os outros esperando

 

Carregue seu lixo

 

Tem gente que vai embora da praia e deixa para trás um monte de lixo: palito de picolé ou de churrasquinho, coco, lata de cerveja... Você é o responsável pela sua sujeira. Dê um jeito nela

 

Churrasco

 

Em algumas praias, há área propícias para acender a churrasqueira, onde a fumaça e o cheiro da comida não atrapalhem os demais frequentadores

 

Bichinho de estimação

 

Na Grande Vitória, não existe lei que proíba animais de estimação na praia. Mas vale novamente o bom senso. Lembre-se que tem gente que não gosta de bicho e deve ter seu direito respeitado. Além disso, o animal pode fazer xixi e cocô, contaminando a areia

 

Leve o seu protetor

 

Não dê uma de folgado e leve seu próprio filtro solar para a praia. E evite pedir aos outros que passem o produto em você. Isso exige uma intimidade. Caso um estranho te peça para aplicar o produto e você não se sentir à vontade, dê uma desculpa e saia fora dessa missão.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

*Com informações da gazeta Online/Redação IOL

Últimas Notícias

TV IOL- Canal Livre

Divirta-se

MONTE O MAPA DO BRASIL

Colunistas

Destaques






 


Previsão do Tempo

Dicas das Estradas

Parceiros do IOL