Olá! Seja bem vindo ao nosso site. 

 24 de Maio de 2019

Até 27 de abril, pelo menos 535 pessoas foram hospitalizadas este ano no Brasil por síndrome respiratória aguda grave causada por influenza e 99 morreram em decorrência do quadro.

 

De acordo com o Ministério da Saúde, do total de óbitos, 90% ocorreram em pessoas que já apresentavam fatores de risco para a gripe, como idosos, pacientes com doença crônica, crianças, gestantes, indígenas e puérperas.

 

O novo boletim epidemiológico revela que o vírus H1N1 é predominante no país, até o momento, e responsável pela maior parte das mortes por influenza – sozinho, ele responde por 254 casos e 89 óbitos. Foram identificados ainda 54 casos de influenza A (H3N2); 38 de influenza A não subtipado; e 62 casos de influenza B. Outros 127 casos, segundo a pasta, ainda não tiveram o subtipo identificado.

 

Ainda de acordo com o levantamento, nos primeiros meses de 2019, a circulação de vírus do tipo influenza se deu com maior intensidade e de forma localizada no Amazonas, que registrou 139 casos e 35 óbitos. O estado de São Paulo também se destaca, com 107 casos e 7 óbitos.

 

Outros estados registraram mortes são: Paraná (11); Pará (7); Espírito Santo (6); Tocantins (5); Rio Grande do Norte (4); Ceará (3); Rondônia (3); Acre (2); Alagoas (2); Sergipe (2); Rio de Janeiro (2); Santa Catarina (2); Mato Grosso do Sul (2); Amapá (1); Bahia (1); Minas Gerais (1); Rio Grande do Sul (1); Mato Grosso do Sul (1), além do Distrito Federal (1).

 

Campanha

 

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza começou no dia 10 de abril e segue até 31 de maio em todo o país. Devem receber a dose trabalhadores da saúde; indígenas; idosos; professores; pessoas com doenças crônicas e outras categorias de risco clínico; população privada de liberdade, incluindo jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas; funcionários do sistema prisional; e profissionais das forças de segurança e salvamento.

 

O último balanço da vacinação mostra que, até a última terça-feira (7), 45,3% da população prioritária havia sido imunizada. Entre os grupos, as puérperas registraram maior cobertura vacinal (64,3%), seguido por idosos (52,5%), gestantes (51,2%), crianças (48%) e indígenas (45,1%).

 

Os grupos que menos se vacinaram foram profissionais das forças de segurança e salvamento (10,9%), população privada de liberdade (11,9%), pessoas com comorbidades (34,3%), funcionários do sistema prisional (35,8%), trabalhadores de saúde (40,3%) e professores (41,2%).

 

Vacina Itapemirim

 

Fique atento! Procure a Unidade de Saúde Mais Próxima e previna-se! 

 

Para receber a dose e ficar imunizado contra os tipos H1N1, H3N2 e influenza B, os integrantes do público alvo da campanha devem procurar a unidade de saúde que possui sala de vacinação mais próxima de sua residência levando o cartão de vacinação e o cartão do SUS. A campanha segue até o dia 31 de maio, tendo este sábado (4) como Dia D, onde todas as unidades de saúde do município vão disponibilizar a vacina.

 

Devem procurar as unidades de saúde para receber a dose as crianças maiores de 6 meses e menores de 6 anos, as gestantes e quem teve bebê em menos de 45 dias, pessoas com mais de 60 anos, integrantes de povos indígenas, professores de escolas públicas e privadas, trabalhadores da área da saúde e portadores de comorbidades (pessoa com uma ou mais doenças simultâneas).

 

Confira as unidades de saúde que vão aplicar a vacina

 

Maria da Penha Freire Mezher (Jardim Paulista)

Itaipava

Itaoca

Retiro

Campo Acima

Garrafão

 

 

 

 

 

 

 

*Redação IOL/Com informações Agência Brasil

Últimas Notícias

TV IOL- Canal Livre

Divirta-se

Colunistas

Destaques

 

Previsão do Tempo

Dicas das Estradas

Parceiros do IOL