Olá! Seja bem vindo ao nosso site. 

 28 de Janeiro de 2023

Itapemirim: O Departamento de Vigilância Sanitária recebeu uma denúncia com informações de que havia um abrigo ilegal no município.

 

A equipe fez uma visita na segunda-feira, a proprietária do “abrigo clandestino” informou que havia alugado a casa para veraneio. E não deixou a equipe entrar.

 

No entanto a equipe de enfermagem da unidade de saúde do bairro atendeu um senhor que foi ao local fazer curativo e disse que estava em uma casa de terapia. O que reforçou as suspeitas. Diante disso, na data de ontem, a vigilância voltou ao local com a enfermeira e o médico da unidade, mas não foram recebidos.

 

O caso havia sido apresentado para a polícia civil, que realizou a operação na manhã desta quinta-feira (19). 

 

A operação contou com a participação da Secretaria de Saúde (Vigilância Sanitária, Farmácia, Enfermeira é Médico), Polícia Civil, Guarda Municipal, Secretaria de Assistência Social e Cidadania. 

 

Fatos narrados pelo Delegado Dr. Djalma Lemos:

 

- A casa contava com 12 internos (entre eles idosos, dependentes químicos, e pessoas com problemas psiquiátricos. Sendo 11 homens e 1 mulher).

- Não havia nenhum tipo de autorização para funcionamento de abrigo. O espaço estava irregular, sem qualquer registro ou solicitação. 

- O local não contava com serviços médicos, enfermaria, cozinheira, segurança. Inclusive oferecia risco, por ter escada. 

- Além disso estavam no local uma mulher e duas crianças (2 e 7 anos). A mulher era filha de uma interna, e informou morar no Rio de Janeiro e disse que estava há 15 dias em Itapemirim visitando sua mãe. 

- No local foram encontrados muitos medicamentos, inclusive fora de suas embalagens, e sem a devida descrição de nome, dosagem, validade.

- A casa era alugada. A locadora foi detida e encaminhada para a delegacia, junto com o seu companheiro. 

-De acordo com o delegado na cozinha tinha comida insuficiente para o número de pessoas que residia na casa. 

-O delegado informou ainda que a mulher detida ficava com alguns cartões e recebia transferência de familiares de pacientes.

 

Destinação dos internos

 

Os internos estão sendo direcionados para a casa de parentes ou para instituições legalizadas.

 

Dez pessoas já foram encaminhadas para casa de familiares em Castelo, Venda Nova do Imigrante, Cachoeiro de Itapemirim, Brejetuba e Vargem Alta.

 

Duas com deficiência mental serão internados até que as famílias sejam localizadas.

 

A pastora e o marido, responsável pelo asilo, foram liberados juntamente com a mulher que estava com as duas crianças.

 

A Polícia Civil de Itapemirim segue investigando o caso.

 

Assim que tivermos mais informações, voltaremos ao assunto.

 

Fotos/Ass.Com.PMI

 

 

* Matéria alterada às 19:20 para acréscimo de informações 

 

 

Com informações Ass.Com.PMI/Aline Souza

 

Últimas Notícias

Vídeo - Canal Livre

Clima / Tempo

Colunistas

Dicas das Estradas

Destaques

 

Parceiros do PDN