Olá! Seja bem vindo ao nosso site. 

 23 de Outubro de 2018

Uma operação poucas vezes vista em Porto Alegre foi montada para garantir, nesta quarta-feira, a realização do julgamento da apelação feita pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do triplex do Guarujá.

 

Um dos detalhes mais atípicos refere-se ao deslocamento dos desembargadores encarregados de decidir o futuro do ex-presidente: helicópteros da Polícia Rodoviária Federal (PRF) estarão de prontidão para conduzir os magistrados até a sede do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), na zona central de Porto Alegre.

 

O uso de aeronaves será a alternativa caso o Gabinete de Gestão Integrada (GGI), montado especialmente para o evento, avalie que o trânsito pelas vias urbanas seja inseguro ou mais demorado do que o usual. Se forem utilizados automóveis, haverá escolta e batedores da PRF durante todo o trajeto.

 

A partir das 17 horas de hoje, o perímetro formado pelas avenidas Augusto de Carvalho, Loureira da Silva e Edvaldo Pereira Paiva será “congelado”, ou seja, terão acesso apenas pessoas autorizadas. Haverá bloqueio aéreo, terrestre e naval, pois o TRF-4 situa-se próximo ao lago Guaíba.

 

O GGI solicitou que os órgãos públicos com sede nesta região (Ministério da Agricultura, Incra, Receita Federal, IBGE, Serpro e Câmara de Vereadores) suspendam suas atividades a partir do meio-dia de hoje.

 

ACAMPAMENTO

 

A 600 metros da sede do TRF-4, militantes do Movimento Sem Terra (MST) montaram acampamento durante o dia de ontem. Barracas de camping e outras feitas de lona preta escorada sobre troncos de madeira ocuparam o Anfiteatro do Pôr do Sol, localizado às margens do Guaíba.

 

Banheiros químicos foram instalados no terreno tomado pelo mato. Uma cozinha improvisada toma a parte de trás da área, que ganhou também uma grande pia coletiva, feita de lona e madeira.

 

Uma dupla de músicos animava o local na tarde de ontem, com refrões de apoio a Lula e em defesa da reforma agrária. Ontem mesmo, um forte aparato policial passou a ocupar o Parque Harmonia, vizinho ao TRF-4. Carretas, ônibus e caminhões da Brigada Militar, como a PM gaúcha é chamada, passaram a tarde fazendo manobras em frente ao prédio do tribunal.

 

O clima da cidade para o julgamento pode ser percebido logo na chegada a Porto Alegre. Um outdoor instalado na frente do aeroporto pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e o Vem Pra Rua pede a prisão de Lula.

 

Nas calçadas já há policiais com cães e cavalos de prontidão. Além de integrantes das polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal e da Guarda Municipal, a Força Nacional foi requisitada para se concentrar em Porto Alegre.

 

Este efetivo garante a segurança dos prédios federais. No que tange ao transporte coletivo, 18 linhas de ônibus terão seu percurso alterado a partir da meia-noite, por conta do bloqueio das cercanias do TRF-4.

 

Os veículos que tentarem ingressar em Porto Alegre pela Avenida da Legalidade e da Democracia, um dos principais acessos à cidade, serão desviados para o Túnel da Conceição, no centro da cidade.

 

“Nossa intenção é que 1,4 milhão de porto-alegrenses tenha o mínimo possível de suas vidas afetadas”, afirmou o secretário de Segurança Pública, Cezar Schirmer. (Agência O Globo)

 

ENTENDA 

 

Origem do triplex

 

A Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop) iniciou a construção de um condomínio no Guarujá (SP), mas, endividada, repassou projetos à OAS, como o edifício Solaris, assumido em 2010. A ex-primeira-dama Marisa Letícia tinha, desde 2005, uma cota do edifício, com opção de compra definitiva.

 

Ocultação de valores

 

Segundo o MPF, Lula recebeu vantagem indevida de R$ 3,7 milhões por três contratos entre a OAS e a Petrobras. Conforme a sentença, Lula e a OAS ocultaram a origem de R$ 2.252.472 relacionados à corrupção mediante lavagem de dinheiro com a aquisição do triplex. Deste, R$ 1.147.770 correspondem à compra do imóvel e R$ 1.104.702 de reformas e mobiliário.

 

 

LULA PARTICIPA DE ATO POLÍTICO EM PORTO ALEGRE

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ontem que viajará a Porto Alegre hoje, véspera do julgamento de seu recurso no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) pela condenação no processo do triplex do Guarujá (SP).

 

“Amanhã (hoje) vou a Porto Alegre agradecer a solidariedade do povo que está se manifestando”, declarou Lula, em encontro com sindicalistas realizado no Instituto Lula, na zona Sul da capital paulista.

 

O julgamento é cercado de grandes expectativas, já que o ex-presidente pode ser impedido de disputar a eleição presidencial deste ano, caso o TRF-4 mantenha a sentença proferida pelo juiz Sérgio Moro, na primeira instância.

 

Durante o encontro, Lula indicou estar confiante na sua absolvição. “Não é a primeira vez nem a última que estamos juntos”, disse Lula, que prometeu realizar uma caravana pelo Rio Grande do Sul a partir de 27 de fevereiro.

 

APELO

 

Lula reivindicou ontem ao Tribunal da Lava Jato, em memoriais no âmbito de sua apelação no processo triplex, que, se mantida a sua condenação a 9 anos e 6 meses de prisão imposta pelo juiz federal Sérgio Moro, tenha “o direito de em liberdade recorrer aos tribunais superiores”.

 

Por meio de seus advogados, o petista também pede o reconhecimento da prescrição da pretensão punitiva para os crimes que lhe foram imputados na sentença de Moro, corrupção e lavagem de dinheiro. A defesa requer, prioritariamente, a absolvição de Lula.

 

O julgamento do ex-presidente é marcado por grande expectativa. O país discute se Lula poderá ser preso, se mantida sua condenação – o Supremo Tribunal Federal já decidiu que penas podem ser executadas após decisões de segunda instância.

 

Os memoriais derradeiros de Lula têm 23 páginas. O documento foi entregue a todos os desembargadores da 8ª Turma do TRF-4, João Pedro Gebran Neto (relator), Leandro Paulsen, e Victor Laus, que o julgarão amanhã. (Com agências)

 

CARAVANA DE APOIADORES SAI DE VITÓRIA RUMO AO JULGAMENTO 

 

Um ônibus com 45 pessoas ligadas ao Partido dos Trabalhadores (PT) saiu no final da tarde de ontem, da Praça dos Namorados, em Vitória, com destino a Porto Alegre, onde os passageiros acompanharão amanhã o julgamento do ex-presidente Lula.

 

A previsão é de que façam o trajeto de mais de 2 mil km em 34 horas (são em média 26 horas viajando e outras oito gastas com paradas). A previsão de chegada é às 4 horas de amanhã.

 

“Estão indo neste ônibus sindicalistas, militantes de movimentos sociais e bastante jovens. Para a executiva do partido, o foco é realizar os atos aqui na Capital”, explicou o ex-deputado Claudio Vereza (PT).

 

O petista se refere ao fato da sigla em nível nacional ter orientado as executivas estaduais a promoverem seus próprios atos locais e deixarem para os estados do sul a obrigação de fazer coro em Porto Alegre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

*Com informações Gazeta Online/Redação IOL

Últimas Notícias

TV IOL- Canal Livre

Divirta-se

Colunistas

Destaques






Previsão do Tempo

Dicas das Estradas

Parceiros do IOL