Olá! Seja bem vindo ao nosso site. 

 17 de Agosto de 2018

Desde que deixou a presidência da Mesa Diretora, no início do ano, Theodorico Ferraço (DEM) desceu para o plenário da Assembleia com o governador Paulo Hartung (PMDB) atravessado na garganta. O decano não aceitou a maneira como o peemedebista conduziu o processo sucessório que o limou da disputa ao quarto mandato consecutivo à frente da Casa e elegeu o candidato palaciano Erick Musso (PMDB) para a presidência do Legislativo estadual. 

 

Nesse período, Ferraço já deixou claro que não tem nenhum interesse em fazer parte da base do governo. Ao contrário, ele tem mantido uma posição independente e, em alguns momentos, feito críticas ao chefe do Executivo. 

 

Na sessão desta quarta-feira (28) da Assembleia, porém, Ferraço decidiu tirar de vez a “caixa de ferramenta” do armário e passou a fazer a crítica mais dura ao governador Paulo Hartung desde que voltou ao falar da tribuna. O deputado não aliviou. “Ele [Hartung] assumiu o Espírito Santo pela terceira vez e continua o mesmo: enganando, tripudiando e passando por cima de todos. Mas a hora dele vai chegar”, avisou.

 

Saúde

 

Foram pouco mais de 13 minutos de discurso exclusivamente dedicados a disparar contra o governador. Ferraço abriu fogo destacando o descaso do governo Hartung em relação aos hospitais do sul do Estado, sobretudo os de Cachoeiro de Itapemirim. Descreveu a grave situação financeira dos filantrópicos e advertiu que as unidades podem fechar a qualquer momento por falta de recursos. 

 

O deputado recordou que enquanto esteve na presidência da Assembleia fechou as torneiras e devolveu recursos ao governo, lembrou especificamente dos R$ 25 milhões repassados ao Palácio Anchieta no início de 2015. Segundo Ferraço, o governador prometera, à ocasião, aplicar R$ 6,5 milhões em obras de melhorias no Hospital de Iuna e construir dez leitos de UTI. “Já faz quase dois anos [dessa promessa] e nada”. E acrescentou: “Hoje existe um trabalho muito ‘malandro’ na Secretaria de Estado da Saúde”. O “malandro” a que Ferraço se referiu seria o processo de inspeção que a Sesa faz nos hospitais que pleiteiam leitos de UTI. Ele disse que a Sesa vai “inventando desculpas” para protelar a instalação e as UTIs acabam não saindo. 

 

Hartung X Assembleia

 

Theodorico Ferraço usou o exemplo desse repasse para mostrar que o governador Paulo Hartung não tem compromisso com a Assembleia. “O compromisso do governador [com os deputados] não passa de nomeações de serventes de escola e empregos de novecentos ou mil reais nos Ciretrans. O governo não dá nada que os deputados pedem”, desabafou.

 

O deputado afirmou que o governador não respeita os deputados. “Não dá satisfação sobre nossas indicações. Ele pensa que está acima de tudo. Acima da lei, da Justiça, do poder político. Não sabemos até quando essa Casa vai assistir esse baixinho de um metro e meio, querendo comandar o Espírito Santo da maneira como está fazendo. De costas para a Assembleia que lhe dá apoio”.

 

Em seguida, Ferraço cutucou os colegas. Disse que o eleitor vai cobrá-los sobre as demandas. “A população chegará como uma cópia do ofício [com uma demanda] e perguntará ao deputado onde o governador enfiou o ofício. O deputado vai dizer onde ele enfiou...Na gaveta, não é? Para não dizer em outro lugar”, disparou.

 

Hartung e Rodrigo Maia

 

A inusitada visita do presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM) a Paulo Hartung também ganhou destaque na fala de Ferraço. Ele lembrou que o governador gosta de fazer reuniões “misteriosas”. Recordou a reunião que Hartung teve com Michel Temer dias antes do início do processo de impeachment contra a então presidente Dilma Rousseff (PT). 

 

Ferraço disse que Hartung levou para a reunião com Maia uma “corte de amigos que não sabiam muito bem o que estavam  fazendo ali”. Ele afirmou que o “PH misterioso” teria falado com Rodrigo Maia da sua intenção de tomar o DEM do Espírito Santo. “Isso é coisa de moleque”. 

 

Em seguida deu um recado ao presidente da Assembleia, que esteve na reunião com Maia. “Se o senhor Erick quiser vir para o DEM, será bem-vindo, mas não precisa da intermediação de Paulo Hartung, que não tem a ficha muito boa para fazer esse tipo de pedido”.

 

Mais à frente, Ferraço garantiu que o presidente nacional do DEM, Agripino Maia, não permitirá que Hartung interfira no DEM capixaba. “O Agripino disse que o partido não está à venda”.

 

Principal liderança do DEM no Estado, Ferraço disse que o fato de o presidente do DEM (licenciado), Rodney Miranda, ser secretário (Desenvolvimento Urbano) de Hartung não transfere a propriedade do partido para o governador. “Porque o dia que ele [Hartung] entrar por uma porta, saio pela outra”. E advertiu: “E não vai ser bom o dia em que eu sair”, disse em tom de mistério. 

 

“Buraco-negro” de R$ 890 milhões

 

O ex-presidente da Assembleia reservou os minutos finais de sua fala para acusar o governador Paulo Hartung de ter causado um prejuízo de R$ 890 milhões ao Espírito Santo. Ele se referia à antecipação que Hartung pediu ao governo federal, no início de 2003, dos royalties sobre o petróleo. O governador usou o dinheiro, cerca de R$ 350 milhões, para cobrir a folha do funcionalismo público. O deputado afirma que Hartung “assinou um acordo criminoso e lesivo ao Estado”.  O deputado disse ainda que o caso foi denunciado ao Ministério Público.

 

Deputado Theodorico Ferraço (DEM). Foto/Reprodução

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

*Fonte: Com informações Portal Século Diário/Redação IOL

Últimas Notícias

TV IOL- Canal Livre

Divirta-se

MONTE O MAPA DO BRASIL

Colunistas

Destaques






Previsão do Tempo

Dicas das Estradas

Parceiros do IOL