Olá! Seja bem vindo ao nosso site. 

 07 de Agosto de 2020

"Gestão desastrosa na pandemia, carência de serviços; insatisfação; enganação ao eleitor; cidade andando pra trás; gastos não prioritários, e falta de liderança". 

 

O discurso de campanha do presidente do DEM e ex-superintendente do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibana), Diego Libardi, candidato do deputado estadual Theodorico Ferraço em Cachoeiro de Itapemirim (sul do Estado), já saiu da fase de ensaio. 

 

Em recente entrevista à Rádio Cachoeiro, reproduzida em trechos em suas redes sociais, ele mostra sua linha de ataque à gestão do prefeito Victor Coelho (PSB), candidato à reeleição em novembro deste ano, com o reboque de peso do governador Renato Casagrande. 

 

Dizendo-se "100% colado em Ferração", para afastar preocupação em relação a possíveis críticas sobre o padrinho político, Diego garante, porém, que hoje "monta seu próprio grupo" e que o deputado "é uma parte dele", num aviso, nas entrelinhas, de que não será "fantoche".

 

 

Entra, assim, cada vez mais no jogo, agora com a caneta do DEM estadual na mão, entregue pela deputada federal Norma Ayub na última sexta-feira (24). Enquanto isso, Victor Coelho, o alvo, aguarda, aguarda, aguarda...

 

É proibido cochilar

 

O prefeito não toca ainda na candidatura publicamente, mas o PSB de Cachoeiro articula para formar seu amplo leque de alianças. Em plena pandemia, Victor tenta não dar nenhum passo em falso, para não levar chumbo do eleitorado. Mas, agosto já está aí, e Casagrande precisa reelegê-lo, de olho no projeto de 2022. Vão esperar mais quanto tempo? Coligações (31 de agosto a 15 setembro)? Lá e cá

 

Diego segue o plano em Cachoeiro, Theodorico na Assembleia. Na sessão desta segunda-feira (27), citando também o nome da sua mulher, Norma, o deputado voltou a explorar o confronto de Casagrande com o governo Jair Bolsonaro, ao reclamar que não obteve resposta da gestão estadual sobre os recursos enviados para o Estado e municípios capixabas durante a pandemia da Covid-19, e então os apresentou: R$ 1,185 bilhão. Aí...

 

Não, não!

 

...logo veio Enivaldo dos Anjos (PSD) para rebater. "Mais de 70-80% desse dinheiro são repasses obrigatórios para o Sistema Único de Saúde (SUS)", afirmou, cobrando a discriminação do dinheiro. Theodorico disse que enviaria a todos os deputados nesta terça-feira (28). Ou seja, ainda renderá.

 

PSB x PSB

 

Por falar em Enivaldo, ele não perdeu a chance de registrar, nesta segunda, que o líder do governo, Dary Pagung (PSB), encaminhou voto contrário ao pedido de regime de urgência do próprio correligionário, Sergio Majeski. O projeto era sobre reabertura de escolas em respeito às regras da Organização Mundial de Saúde (OMS). O fato não chega a ser novidade, tratando-se da Assembleia, Majeski e PSB, mas sempre vale lembrar das contradições.

 

Virou moda

 

A temporada de outdoors está, definitivamente, aberta. Não bastassem os inúmeros com foto do presidente Jair Bolsonaro espalhados pela Grande Vitória, com diferentes frases e assinaturas, agora tem também do senador Marcos do Val (Podemos), referindo-se a um Ranking Político, no interior do Estado (Afonso Cláudio). Diz ele que é homenagem e que ficou "emocionado".

 

Como fica?

 

A liderança quilombola Domingas Dealdina teve sua candidatura à prefeitura de São Mateus, norte do Estado, homologada pelo Cidadania. Conhecida na região por sua militância, ela ocupou, até ano passado, o cargo de secretária de Cultura da atual gestão, de Daniel da Açaí (PSDB), e agora responde pela pasta de Turismo. O prefeito, apesar dos problemas judiciais, de cassação, também é candidato à reeleição.

 

Como fica II?

 

No município, outra mulher afirma que está no páreo. A assessora de Do Val, Elisângela Cristina do Nascimento, a Preta, do PSB, partido de Casagrande. Mas cadê o ex-deputado e ex-líder do governo, Freitas? Não vai encarar de novo uma disputa com Daniel (a derrota, para quem não se lembra, foi de lavada)?

 

Dobradinha

 

Quem também ressurgiu por lá, com candidatura a prefeito, foi o ex-vereador Eneias Zanelato (PT), que teve atuação combatente na Câmara de Vereadores na época da administração de Amadeu Boroto, pelo PSB. A mulher de Eneias, Jaciara Teixeira, do mesmo partido, entrou no legislativo depois e, este ano, é candidata à reeleição.

 

Batismos

 

Com o passar dos dias, a campanha em tempos de pandemia ganha fôlego e as "marcas" vão aparecendo. O deputado estadual Alexandre Xambinho (PL) batizou seu projeto de disputar a prefeitura de "Movimento Serra Novas Ideais". Já Lozenzo Pazolini (Republicanos), que está com time em campo em Vitória, de "Movimento uma ideia para Vitória". Como disse aqui outro dia, sobre Vila Velha, é tudo bem parecido mesmo.

 

 

 

 

Fonte: Por Yasmin Silva/Século Diário

Últimas Notícias


TV IOL- Canal Livre

Clima / Tempo

Colunistas

Dicas das Estradas

Destaques

Parceiros do IOL